2- Coco na Calçada

4 - Deixa o bicho do mato no mato, bicho

​1 - Brida de Lombrigas

Eu vi a briga de duas lombrigas

Eu vi a briga de duas lombrigas
Lombriga brigando é deprimente
Imagina então uma briga de gente

Vamos trocar o sopapo
Por um belo papo
E um puxão de cabelo
Por um bom conselho
Vamos trocar a pernada
Por uma gargalhada
E aquele empurrão
Por um aperto de mão

Quando a briga é de bicho
Tem um bom motivo
Pode ser por comida
Ou pra salvar a sua vida
Quem briga não é forte
Não passa de um fracote
Quem resolve no tapa
Mostra que é cabeça fraca

 

Esta noite eu tive um sonho
Que coisa engraçada
Sonhei que o meu vizinho
Fez cocô lá na calçada
Sonhei que o meu vizinho
Fez cocô lá na calçada
Acordei revoltado
Distribuindo esporro
Mas eu faço a mesma coisa
Só que eu uso meu cachorro
Quando solto o coitadinho
E ele sai pra passear
E na calçada do vizinho
Que ele vai se aliviar,
É que ele vai se aliviar
O cão é irracional
E não sabe o que é privada
Nada é mais natural
Que o dono limpe a calçada
No seu próximo passeio
Leve um saquinho de lixo
Pra limpar toda sujeira
Que é obra de seu bicho
É que é obra do seu bicho

3 - Coitado, ele é mal educado

Não dá bom dia, nem sorri para ninguém

É orgulhoso, trata os outros com desdém
Não agradece, está sempre emburrado
Coitado, ele é mal educado

Mal educado, mal educado
Coitado, ele é mal educado

É egoísta, só faz o que lhe convém
Se tem recado não retorna pra ninguém
Aumenta o som sem dó de quem tá do lado
Coitado, ele é mal educado

Indiferente não respeita um idoso

Só quer vantagem e se acha o gostoso
Se tá por cima pisa em quem tá por baixo
Coitado, ele é mal educado

Se alguém precisa não estende sua mão
Se tá na rua joga seu lixo no chão
Não dá lugar em um ônibus lotado
Coitado, ele é mal educado

 

Deixa o bicho do mato no mato, bicho
Deixa o bicho do mato no mato
Deixo o bicho do mato não mata o bicho
Deixa o bicho do mato no mato

A iguana fica melhor
Entre pedras e cascalhos
Nunca como um bibelô
Em um canto do seu quarto

Voar livre entre galhos
É o que a arara adora
Nunca ser peça de jardim
Presa e só numa gaiola

A bela cobra amarela
Só quer ter o mato e o chão
Não quer ter jaula de vidro
Nem ser exibida em sua mão

Papagaio fora da mata
É motivo de assombro
E você não é pirata
Pra carrega-lo em seu ombro

Se eu paro em fila dupla
É rapidim, é rapidm
Na vaga do deficiente
É rapidim, é rapidim
Se eu paro sobre a faixa
É rapidim, é rapidim
Ou em frente uma garagem
É rapidim, é rapidim
É rapidim
É a minha solução
É rapidim
Só não é educação
A nenhum carro dou passagem
Eu tenho pressa, eu tenho pressa
Estou sempre a furar fila
Eu tenho pressa, eu tenho pressa
Se tá  na faixa eu não espero
Eu tenho pressa, eu tenho pressa
Meto a mão na buzina
Eu tenho pressa, eu tenho pressa
Eu tenho pressa
Acredito ter razão
Eu tenho pressa
Só não tenho educação

5 - É Rapidim

7 - Palavras Mágicas

6 - Beabá é bom!

8 - Rua não lixo não

O beabá é bom

O beabá é bom
Beabá é bom é aprender o beabá

O beabá é bom

O beabá é bom
Beabá é bom é aprender o beabá

Quem é que mais ensina
Depois da mãe, do pai
Responde aos porquês
E a todos os “uai”

Conhece a Grécia antiga
E toda a tabuada

Os rios e afluentes
Se a frase está errada

Conhece os sete mares
A tabela periódica
Um monte de lugares
E a era mesozoica
As partes de uma flor
Os poemas de amor
Sou fã desse cara 

E esse cara é o professor

 “Alô”, “olá”

“Como vai você?”

“Bom dia”, “boa tarde”
“Boa noite”

“Perdão”, “muito obrigado”
“Não tem de quê”
“Com licença”, “até logo”
“Deus esteja com você”

A força de um homem
Está na delicadeza
E é em pequenos atos
Que mostra sua grandeza
Ao semear palavras mágicas
Colhe sempre a certeza
De que nada é mais poderoso
Do que a gentileza

Rua não é lixo não!

Rua não é lixo não, meu irmão
Rua não é lixo não, vou falar pra você

Se você joga de tudo
Pela janela do carro
Panfleto, papel de bala
Ou “bituca” de cigarro
Saiba que antes de tudo
É falta de educação
Jogue seu lixo no lixo
Rua não é lixo não

A galinha enche o papo
Comendo de grão em grão
De papel em papelzinho
A rua vira um lixão
Se você já faz sua parte
Ajude na divulgação
Jogue seu lixo no lixo
E rua não é lixo não

9 - Seja maduro, preserve do verde!

10 - Tô de saco cheio de saco

Seja maduro preserve o verde 

Seja maduro preserve o verde
Que limpa nosso ar e pendura a sua rede

Que limpa nosso ar e pendura a sua rede

Tenha dó lenhador
Me quebra esse galho
Não arranca o meu galho
Nem destronca o meu tronco
Senão assim eu caio, e só assim eu caio

Motosserra, mata a serra
Mata o mato já tombado
Todo tronco torturado
Toda lenha que se tenha
Assina um assassinato, assim é um assassinato

Ver o verde que já jaz
Me corrói o coração
Mal marcado pela mão
De certo é deserto
A cor do coração, e cora o coração

O machado tá manchado
Nação morta no seu ninho
Passarão passarinhos

Seca o seu sangue verde

Só da pedra no caminho, sobra pedra no caminho 

Atenção meus filhinhos
Atenção meus filhotes
Que vos fala é mãe terra
Quero ver quem me acode
Não é só choradeira,
Resmungo de velhote
Vê se escuta a mamãe
Ou meu saco explode

Tô de saco cheio de saco
Saco cheio de saco
Saco preto, de plástico
Saco de supermercado

Tem plástico nos rios
No mar e na areia
Saco pra todo lado
Entupindo minhas veias
Fica aqui minha queixa
Comece a reciclar
E veja se não deixa
O meu saco estourar

Vencendo o Aedes

Vencendo o Aedes!!

(Paulo Gimenes e Reginaldo Mil)

Zum ,zum, zum, zum, zum, zum

faz o mosquito perigoso

vamos acabar o Aedes

pra nunca ficar dengoso!!

Se  não quer ficar doente

precisa fazer assim:

não deixe água parada no vaso  ou no xaxim

tampe sua caixa d`água, limpe todo o seu quintal,

garrafa vire pra baixo e evite o hospital!!

Zum ,zum, zum, zum, zum, zum

faz um mosquito perigoso

vamos acabar o aedes

pra nunca ficar dengoso.

nada de água parada

ouça o conselho meu:

inspecione todo vaso,toda calha e pneu

depois que o mosquito pica pra curar é um perrengue

e o presente do danado é chicungunha, zika e dengue!!

 

Nova